Entre em contato 99386-9615
Avançado
Procurar
  1. Home
  2. Papanicolau: o que é e como é realizado o exame preventivo do Câncer do Colo do Útero
Papanicolau: o que é e como é realizado o exame preventivo do Câncer do Colo do Útero

Papanicolau: o que é e como é realizado o exame preventivo do Câncer do Colo do Útero

  • 3 de March de 2020
  • 0 Likes
  • 164 Views
  • 0 Comentários


O câncer do colo do útero ou câncer cervical, é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano – HPV (chamados de tipos oncogênicos).

A infecção genital causada pelo vírus é bastante frequente e na maioria das vezes não causa doença, mas em alguns casos, ocorrem alterações celulares que podem evoluir para o câncer. 

Essas alterações são facilmente identificadas no exame preventivo, também chamado de exame Papanicolau ou Papanicolaou, e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso, é de extrema importância a realização periódica deste exame.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de colo do útero é o terceiro tumor maligno mais frequente entre as mulheres (atrás somente do de mama e do colorretal) e a quarta causa de morte feminina por câncer no Brasil. Em 2017, último dado disponível pelo instituto, 6.385 mulheres perderam a vida por causa da doença no país.

Os altos números, entretanto, não parecem assustar. A vacina contra o Papilomavírus Humano, o HPV, vírus causador do câncer, está disponível gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas tem baixa procura. A cobertura vacinal atual está bem abaixo dos 80% recomendados pelo Ministério da Saúde: apenas 51,4% das meninas de 9 a 15 anos e 22,4% dos meninos de 11 a 14 anos tomaram as duas doses necessárias para a proteção completa. Essa é a faixa etária em que a imunização produz a melhor resposta no organismo.

Afinal o que é o Exame Papanicolau?

O Papanicolau ou exame preventivo do câncer do colo do útero é um exame de rastreio, ou seja, ele não diagnostica o câncer. 

O que ele faz é rastrear quais mulheres possuem um maior risco de terem lesões pré-malignas que precisam ser submetidas a uma biópsia e tratamento. O câncer do colo do útero é diagnosticado pela biópsia. Em outras palavras, o exame Papanicolau é a principal estratégia para detectar lesões precursoras e fazer o diagnóstico precoce da doença. 

Quando detectado em fases iniciais, o câncer de colo do útero é completamente curável.

O Papanicolau é um exame simples, rápido e praticamente indolor (podendo causar apenas um pequeno desconforto) e quando realizado com regularidade, conforme a indicação do médico ginecologista, ajuda a prevenir a ocorrência e mortalidade do câncer de colo do útero.

Quando o exame deve ser feito?

O Papanicolau deve ser feito em toda mulher que tem ou já teve vida sexual e que está na faixa de 25 a 64 anos de idade. 

A periodicidade do exame varia conforme o País. No Brasil devido à longa evolução da doença, deve ser realizado a cada três anos. 

Sendo que, os dois primeiros exames devem ser realizados anualmente, para uma maior segurança do diagnóstico. Se estiver tudo bem e os resultados estiverem normais, os testes seguintes podem ser feitos com intervalos de 3 anos. Se, entretanto, a paciente apresentar um tipo agressivo de vírus HPV, o Papanicolau pode ser feito com intervalos curtos de até 6 meses.

Após o exame é fundamental retornar ao médico com o resultado para sua avaliação!

Tão importante quanto realizar o exame é buscar o resultado e apresentá-lo ao ginecologista.

Como o Papanicolau é realizado?

O exame preventivo envolve a coleta de amostras de células da região do óstio cervical e ao redor do colo uterino e sua análise laboratorial.

Como já dito, é um exame rápido, simples e praticamente indolor, realizado pelo médico durante o exame ginecológico.

Para se obter as amostras celulares, o ginecologista introduz na vagina um instrumento chamado espéculo, conhecido popularmente como “bico de pato”, devido ao seu formato. O espéculo permite a visualização do canal vaginal e do colo do útero.

Após uma rápida inspeção visual, o ginecologista realiza a escamação da superfície externa e interna da região com uma pequena escova. Uma espátula e um cotonete também podem ser usados para a obtenção de material ao redor do colo uterino.

As células coletadas no exame são colocadas em uma lâmina de vidro para análise em laboratório especializado em citopatologia.

Se durante a inspeção o ginecologista observar alguma área do colo do útero com alterações suspeitas, ele pode fazer uma biópsia da lesão e enviar junto com o material coletado do óstio cervical.

Alguns cuidados que devem ser considerados para garantir um resultado mais fidedigno:

  • a mulher deve evitar ter relações sexuais (mesmo com camisinha) no dia anterior ao exame; 
  • deve-se evitar também o uso de duchas, absorventes internos, medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas anteriores à realização do exame;
  • realizar o exame fora do período menstrual, pois a presença de sangue pode alterar o resultado. 

Mulheres grávidas também podem se submeter ao exame, sem prejuízo para sua saúde ou a do bebê.

Sobre os Resultados?

Após a análise laboratorial do material coletado, o resultado da citologia cérvico-vaginal (também denominado pelo laboratório como exame preventivo ou colpocitologia oncótica) é fornecido em cerca de 3 a 5 dias.

O resultado pode ser:

  • Negativo para câncer: no caso de ser o primeiro resultado negativo, o exame deverá ser repetido depois de um ano. Se já tiver um resultado negativo no ano anterior, o exame preventivo deverá realizado novamente em três anos;
  • Infecção pelo HPV ou lesão de baixo grau: neste caso o exame preventivo deve ser repetido em seis meses;
  • Lesão de alto grau: o médico decidirá a melhor conduta. Serão necessários outros exames, como a colposcopia; 
  • Amostra insatisfatória: esse resultado ocorre quando a quantidade coletada de material não é suficiente para a realização do exame. Neste caso, o preventivo deve ser repetido logo que for possível.

Em todas as situações, é importante seguir as recomendações médicas.

o exame pode ajuda também na detecção de outras doenças? 

O material coletado no exame preventivo pode ser usado para detectar não só a presença de células oncogênicas, mas também a presença do vírus HPV e de infecções ginecológicas como a candidíase, clamídia gonorréia, sífilis, tricomoníase e gardnerella.

Para mais informações e a realização do exame preventivo, consulte o seu médico.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com ginecologistas em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou em alguma unidade de saúde pública mais próxima da sua região.

FONTE: Ministério da Saúde, Instituto de Saúde da Mulher, Instituto Nacional de Câncer

  • Compartilhar:

Deixe o seu comentário