Entre em contato 99386-9615
Avançado
Procurar
  1. Home
  2. Apendicite infantil: saiba como prevenir
Apendicite infantil: saiba como prevenir

Apendicite infantil: saiba como prevenir

  • 27 de January de 2020
  • 0 Likes
  • 457 Views
  • 0 Comentários


A apendicite é bastante comum, acometendo cerca de 7% da população, o que a torna uma das principais emergências médicas em todo o mundo. A inflamação do apêndice geralmente surge entre os 10 e 30 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade, apesar de ser rara nas crianças com menos de 2 anos.

No entanto, os pequenos não estão livres de ter essa enfermidade e, entre eles, ela é a causa mais comum de cirurgias indicadas na infância. Mais rara entre os recém-nascidos, quando a criança alcança os 5 anos de idade a chance de o problema aparecer aumenta.

O pico ocorrerá na adolescência, quando meninos e meninas serão acometidos igualmente. Entre os 15 e 25 anos, os jovens do sexo masculino são os mais afetados, igualando-se a incidência após esse período.

Ao perceber que seu filho se queixa de alguma dor aguda e persistente na região abdominal, acompanhada de falta de apetite e náuseas, vômito e febre, procure imediatamente o pronto-socorro.

Como saber se a criança está com apendicite? 

Para saber diferenciar uma simples dor de estômago de uma dor abdominal aguda, esteja atento às seguintes características da apendicite: a dor se localiza na região da barriga (abdominal) e é aguda (aparece de repente), pode ser difusa, isto é, abrange toda a barriga (abdome) ou se manifesta na região do estômago.

Além disso, entre os pequenos, a dor aparece junto aos seguintes sintomas: 

  • Náuseas e vômitos
  • A dor pode migrar para a parte inferior direita da barriga, especialmente após seis a 12 horas do seu início
  • Febre de, no máximo, 38 °C 

A dor é contínua, de baixa intensidade e piora com o movimento. A criança passa a se mover lentamente.

Como é feito o diagnóstico?

Na maioria dos casos 7 em cada 10 deles, basta que o médico ouça a história do paciente para conhecer seu estado de saúde e faça o exame físico para descobrir que se trata de apendicite. 

Uma particularidade do exame físico é a palpação do abdome para identificar o chamado sinal de Blumberg. Trata-se de um sinal médico caracterizado por dor ou piora dela após a compressão da barriga na parte lateral direita inferior. 

Nos casos em que sejam necessários exames complementares, hemograma completo e ultrassom, por serem mais acessíveis e mais rápidos, podem ser solicitados. Como a dor abdominal pode ter outras causas, o melhor exame para confirmar o diagnóstico é a tomografia abdominal. 

Como é o tratamento da apendicite?

A solução é sempre a retirada do apêndice, o que se faz por meio cirúrgico. As técnicas disponíveis são a laparotomia (corte) e videolaparoscopia, menos invasiva. Neste último caso, a internação é de 24 horas e o retorno às atividades acontece após três ou quatro dias, com liberação para exercícios físicos mais intensos depois de 15 dias. 

Na hipótese da apendicite ser mais avançada, quatro a dez dias é o tempo esperado para estada no hospital, isso em razão da terapia com antibióticos. 

Causas da apendicite em crianças

As razões que ocasionam a inflamação do apêndice são variadas:

  • Infecção por algum tipo de micróbio: Essa é a causa mais comum de inflamação do apêndice;
  • Infecção por acumulação de excrementos: O intestino grosso é uma passagem obrigatória para os dejetos do nosso organismo, por isso alguma parte pode ficar acumulada no apêndice, provocando assim uma infecção;
  • Infecção motivada pela presença de um corpo estranho: Da mesma forma que os excrementos, pode acontecer de um corpo estranho ficar no apêndice, sendo foco direto de infecção;
  • Parasitas ou micro-organismos: Podem provocar a inflamação do apêndice ou sua infecção.

Má alimentação causa apendicite? 

Até o momento os cientistas não conseguiram provar que a apendicite tenha relação com a dieta. Mas há ainda uma dúvida entre os médicos sobre o consumo de sementes como as de uva, cuja ingestão aumenta, especialmente nos meses mais quentes, quando também ocorrem mais casos de apendicite. O ideal é ficar atento a tudo que a criança ingere no dia a dia.

É possível prevenir a apendicite? 

Não existem recomendações que sejam capazes de prevenir a manifestação da apendicite aguda. Contudo, na prática do dia a dia, o que os médicos observam é que crianças que têm hábitos de vida saudáveis, ou seja, têm dieta equilibrada e rica em fibras (frutas e verduras), praticam atividades físicas, controlam o peso possuem menor risco de ter doenças gastrointestinais e, portanto, são menos afetadas pelo problema. 

Pontos chave

  • A infecção do apêndice. É uma emergência médica em qualquer idade;
  • O apêndice pode estourar ou romper, causando mais infecção. Se não for tratado, pode ser fatal;
  • Os médicos geralmente recomendam a remoção do apêndice da criança;
  • Uma apendicectomia é o tipo mais comum de cirurgia de emergência para crianças;
  • A maioria das crianças se recupera sem problemas a longo prazo.

Dicas preventivas

Sempre que levar seu filho ao médico para acompanhamento de rotina fique atento a tudo que o médico informar. Não esqueça de relatar também todas as observações percebidas no metabolismo e comportamento da criança no dia a dia.  

  • Antes da consulta, escreva as perguntas que mais tem dúvida;
  • Durante a consulta, anote o nome de um novo diagnóstico e quaisquer novos medicamentos, tratamentos ou testes prescritos pelo profissional; 
  • Entenda com atenção por que um novo medicamento, incluindo efeitos colaterais ou tratamento estão sendo prescritos e como ele ajudará seu filho;
  • Pergunte se a condição do seu filho pode ser tratada de outras maneiras;
  • Entenda por que um teste ou procedimento é recomendado e quais resultados podem significar.
  • Saiba o que esperar se seu filho não toma o medicamento ou não faz o teste ou procedimento;
  • Se seu filho tiver uma consulta de acompanhamento, anote a data, a hora e o objetivo dessa visita;
  • Saiba como contatar o médico do seu filho após o horário comercial. Isso é importante se o seu filho ficar doente e você tiver dúvidas ou precisar de conselhos.
  • Se o seu filho tiver de ser operado por conta da apendicite, não esconda isso dele. Embora muitas crianças passem por isso, provavelmente, seu filho ficará assustado. Mas é importante explicar o motivo da cirurgia e dizer que depois disso ele vai ficar curado. 
  • Você também não tem que ficar obcecada pelos sintomas aparentes de alerta. É ótimo saber o que pode acontecer com o seu filho, mas, em caso de dúvida, lembre-se que o único diagnóstico válido é o dado pelos médicos.
  • E, por último, não hesite em perguntar ao médico tudo o que causar intranquilidade a respeito da doença, da operação, ou dos cuidados pós-operatório. Faça com que seu filho guarde uma recordação boa da sua internação no hospital. Não vai ser agradável, mesmo que seja por dois dias. Encoraje seu filho, lembrando como ele é valente e forte. 
  • Cuidados após a apendicectomia
  • Logo após a alta hospitalar, seu filho voltará para casa sem preocupação. Entretanto, é importante seguir todos os cuidados pós-operatório recomendados pelo médico.
  • Além disso, também não tem motivo para seguir uma dieta específica, podendo continuar a seguir sua dieta habitual. E, quanto ao restante das atividades, sempre e quando seu filho se sentir capaz de fazê-las, ele vai poder fazer sem problemas. Contudo, durante os primeiros dias é necessário manter repouso e não realizar atividades que exijam grande esforço.
  • Embora tenham ouvido dizer que é uma cirurgia muito comum, existem sim precauções que você deve ter. Assim, se algum dos seguintes sintomas aparecerem no pós-operatório, procure o médico imediatamente.
  • Febre alta.
  • Hemorragia na área da cirurgia.
  • Vermelhidão, inchaço ou tumefação na área da cirurgia.
  • Dor que piora mesmo tomando analgésicos.
  • Secreção de coloração amarelada ou esverdeada, fedorenta e espessa, que é expelida pela área da cirurgia.
  • Perda de apetite ou vômitos.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com gastroenterologista em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou no serviço público de saúde.

FONTE: Ministério da Saúde, Federação Brasileira de Gastroenterologia, uol.com.br

  • Compartilhar:

Deixe o seu comentário