Coronavírus: Portadores de rinite estão no grupo de risco? saiba a diferença dos sintomas

Indivíduos que sofrem de rinite podem ficar despreocupados pois a doença não se encaixa no grupo de risco do novo coronavírus. No entanto, segundo especialistas, se não tratada, a rinite pode aumentar, sim, as chances de infecções, incluindo a causada pela covid-19.  

Geralmente, os batimentos ciliares do nariz fazem a limpeza do local. Segundo os otorrinolaringologistas, esse processo natural provoca uma secreção que expele os microorganismos que estão depositados no nariz. Porém, em uma pessoa com rinite, essa limpeza é prejudicada, levando a uma redução da imunidade da região nasal.   

O quadro provoca uma inflamação. Além de inchaço, há mais secreção e o batimento ciliar não fica tão coordenado, facilitando a entrada de um vírus, por exemplo, na região. O invasor tem mais tempo de contato com a mucosa e predispõe o indivíduo a doenças respiratórias.

Outro fator importante é a baixa imunidade local que facilita um quadro viral, mas é diferente de colocar pessoas com rinite no grupo de risco, que é uma chance maior de desenvolver casos graves de covid-19, alertam especialistas. 

Como cuidar da rinite

Apesar de não estarem no grupo de risco, indivíduos com rinite devem ter cuidado redobrado nesses períodos de grande circulação de vírus respiratórios.

Especialistas sugerem que indivíduos com rinite devem lavar o nariz com soro fisiológico duas vezes ao dia. O ideal é usar um spray ou seringa, vendidos em farmácias. Só a lavagem com solução salina previne várias doenças respiratórias, mas não há nenhum estudo comprovado que o uso desse mecanismo possa prevenir a covid-19 para os portadores de rinite. 

Veja como a lavagem deve ser feita:

  • Use sempre soro fisiológico 0,9%; 
  • Na falta dele, é possível utilizar solução fisiológica caseira: 1 litro de água fervida ou filtrada acrescida de 2 colheres (chá) de sal e 1 colher (chá) de bicarbonato; 
  • Encha uma seringa com capacidade para 20 ml com a solução - preferencialmente morna;
  • Aplique-a nas narinas, uma de cada vez, de forma lenta e contínua.

Aliás, em época de coronavírus, os especialistas alertam ainda para o uso individual dos dispositivos de lavagem, além de limpá-los na sequência com um pano umedecido com álcool ou lavar com água e sabão. Além disso, é importante lavar bem as mãos antes e depois de fazer a higienização.

Em relação aos cuidados em casa é importante manter a ventilação dos ambientes e limpeza dos pisos da casa com água e sabão, além de evitar carpetes, lavar cortinas com frequência, deixar os dormitórios com superfícies livres para facilitar a limpeza diária, lavar as roupas de cama semanalmente e, se possível, utilizar capas impermeáveis aos ácaros nos colchões e travesseiros.

Como saber se é rinite do coronavírus

Tanto a rinite quanto o coronavírus podem ter alguns sintomas parecidos, como coriza, tosse e dor de cabeça, mas é possível diferenciá-las, principalmente sabendo do histórico pessoal. Ou seja, se a pessoa sabe que sofre da doença, ela não precisa entrar em desesperos quando os sintomas da rinite aparecerem em virtude de uma crise da doença.

Os especialistas afirmam que os sinais da rinite costumam ser limitados ao nariz e olhos, como coceira nesses locais, espirros, obstrução nasal e coriza.

Já a covid-19 leva a uma infecção viral sistêmica, ou seja, a todo um estado gripal. No estado gripal clássico, assim como acontece com outros vírus, como o influenza, o paciente pode sentir febre, cansaço, falta de energia, dor muscular, além de alguns sinais e sintomas como dor de garganta, perda do olfato e outros que podem sobrepor os da rinite, que se limitam à coriza, obstrução nasal, etc.

Vale lembrar que, no caso de suspeita de coronavírus, é recomendada a ida a uma unidade de saúde caso os sintomas piorem e exista falta de ar.

Principais sintomas da covid-19

*Percentual de pacientes com coronavírus que apresentaram o sintoma:

  • Febre 88%
  • Tosse seca 68%
  • Fadiga 38%
  • Tosse com catarro espesso 33%
  • Falta de ar 19%
  • Dor articular 15%
  • Dor de cabeça 14%
  • Arrepios 11%
  • Náuseas ou vômito 5%
  • Nariz entupido 5%
  • Diarreia 4%
  • Tosse com sangue 1%
  • olhos inchados 1%

*Dados compilados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) ao analisar mais de 55 mil casos confirmados pela covid-19.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com infectologistas em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou em alguma unidade de saúde pública mais próxima da sua região.

FONTE: Organização Mundial da Saúde (OMS), portal uol (vivabem)