Entre em contato 99386-9615
Avançado
Procurar
  1. Home
  2. Coronavírus: por que é importante manter o ‘distanciamento social’?
Coronavírus: por que é importante manter o ‘distanciamento social’?

Coronavírus: por que é importante manter o ‘distanciamento social’?

  • 16 de March de 2020
  • 0 Likes
  • 32 Views
  • 0 Comentários

Desde que o coronavírus foi declarado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma pandemia, no último dia 11, muitos países vêm tomando medidas de prevenção com base no ‘distanciamento social’ para conter o contágio da doença. Mas ainda há quem não entenda a real importância de ficar em casa – em uma espécie de quarentena – mesmo sem ter sido diagnosticado com o Covid-19 ou tido contato com uma pessoa infectada.

No Brasil, há escolas e universidades – públicas e particulares – que tiveram suas atividades suspensas. O home office compulsório foi adotado por algumas empresas nas quais é possível realizar o trabalho de forma remota. Eventos de grande e médio porte também foram cancelados em várias partes do país.

Toda essa movimentação também está sendo feita internacionalmente – em maior escala – e tem um motivo: evitar aglomerações para que o vírus se propague de forma mais lenta. A estratégia visa impedir que o sistema de saúde fique sobrecarregado, o que resultaria em um maior número de casos dentro de um curto período de tempo e poderia elevar a taxa de mortalidade.

No Brasil, não adotamos medidas tão rigorosas quanto as da China, que basicamente confinou mais de 60 milhões habitantes província de Hubei. Há uma grande diferença entre recomendar e proibir a locomoção da população, mas o fato é que no primeiro epicentro de coronavírus, os novos casos estão sob controle.

Agora, países europeus também começaram a adotar medidas restritivas – é o caso da Itália, onde moradores não podem sair de suas casas sem justificativa médica, sob risco de prisão e multa.

Como saber se faço parte do grupo de risco?

Indivíduos que não fazem parte do grupo de risco do Covid-19 devem evitar a doença tanto quanto os que fazem. Em primeiro lugar, porque o coronavírus se espalha facilmente. Uma vez infectados, esses indivíduos podem acabar transmitindo o vírus para outras pessoas que, de fato, sejam mais vulneráveis, alertam os especialistas.

Em segundo lugar, porque quando uma pessoa é infectada – seja ela velha, nova, com problemas crônicos respiratórios ou não – há a necessidade de tratamento. Isso quer dizer que essa pessoa pode acabar ocupando o lugar de alguém mais sensível à doença. Além disso, há uma insuficiência de leitos em UTIs na rede pública de vários estados do Brasil.

Trata-se, portanto, de um exercício de solidariedade. Isso pode sacrificar algumas das suas atividades rotineiras, como aproveitar a folga do final de semana para ir ao shopping com a família, jogar uma partida de futebol ou um simples churrasco com amigos, mas tende a trazer bons resultados para a saúde pública.

Há ainda um terceiro e bom motivo para evitar contato social e, consequentemente, a contração do coronavírus: estudos mostram que alguns pacientes podem ter sequelas pulmonares, mesmo quando curados da doença.

Mudanças na rotina

Se você seguir as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) que indicam a higienização correta das mãos e a distância de 01 metro de pessoas que estiverem tossindo ou espirrando, os riscos são baixos, por enquanto.

O coronavírus não está no ar, ele se espalha por gotículas que entram em contato com mucosas dos olhos, nariz e boca – é o caso de quando alguém infectado espirra ou fala muito próximo a você; ou acaba tossindo na mão e encostando em uma superfície que depois será tocada por diversas outras pessoas. A questão é que você dificilmente pode escapar disso em um transporte público lotado ou na balada.

Na academia, é mais fácil: você deverá ter bastante cuidado, evitar o revezamento e levar a sério as regras de higienização dos equipamentos. Se puder evitar e praticar seus exercícios em um local fechado, trocando por uma corrida no quarteirão ou ciclismo em área aberta, melhor ainda.

Ao  ir ao mercado, também vale a regra de não levar as mãos aos olhos, nariz e boca. Andar com um frasco de álcool em gel na bolsa pode ajudar – se você ainda encontrar algum por aí. Não há necessidade de estocar comida, papel higiênico e outros itens. Pelo menos, não nesse momento.

A chave para o equilíbrio é ter bom senso e estar alerta às mudanças na sua região.

Panorama da Covid-19 no Amazonas

Desde a divulgação do primeiro caso do novo coronavírus confirmado, na última sexta-feira(13),  no Amazonas, as autoridades de Saúde e o governo do estado estão adotando medidas preventivas contra a Covid-19. Entre elas, o cancelamento de eventos para evitar aglomeração de pessoas, aulas em universidades públicas e até suspensão de viagens para servidores públicos do Governo do Estado para o exterior.

As atividades acadêmicas e administrativas da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) foram suspensas por 15 dias  de 16 a 30 de março. Após o dia 30 de março, a Universidade informou que irá avaliar se a suspensão vai postergar ou não. 

O fechamento de fronteiras, segundo o Governo, não é recomendado pelo Ministério da Saúde. Porém, o Estado informou que está monitorando o Aeroporto Internacional de Manaus, e que está na terceira revisão do plano de contingência vigente no terminal.

Instruções na rede de saúde

Todas as ações de vigilância e assistência para o enfrentamento da doença praticadas no Amazonas seguem as recomendações estabelecidas pelo Ministério da Saúde e pela OMS, afirmou a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Rosemary Costa, depois da confirmação do primeiro caso do novo coronavírus no estado. 

As autoridades de saúde do estado chamam atenção para a orientação de que somente pessoas que se enquadram na definição de caso suspeito, que apresentem sintomas leves, devem procurar atendimento em Unidades Básicas de Saúde (Posto de Saúde) espalhadas pelo estado.

Onde buscar tratamento em Manaus:

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura. Além, de avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados é possível acompanhar notícias atualizadas da área de saúde. No app você pode agendar consultas com infectologistas em Manaus, entre outras especialidades. 

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou em alguma unidade de saúde pública mais próxima da sua região.


FONTE: Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS), Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e Governo do Estado do Amazonas.

  • Compartilhar:

Deixe o seu comentário