Notícias Psicologia Psiquiatra

Setembro amarelo: mês de prevenção ao suicídio

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que a prevenção é essencial para reverter os casos de suicídio

O que é o setembro amarelo?

Setembro é o mês marcado pela campanha de conscientização para prevenção do suicídio. Organizado pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e Organização Mundial da Saúde (OMS), a campanha é marcada pela valorização da vida, buscando conscientizar as pessoas sobre o suicídio.

A ação é realizada no dia 10 de setembro desde 2015, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Segundo pesquisas, no Brasil, cerca de 32 brasileiros tiram a própria vida por dia, e no mundo, a cada 40 segundos acontece um suicídio. Os números são alarmantes, a entorno de 12 mil casos de suicídio no país, e mais de 1 milhão no mundo, por isso é tão importante falar sobre o assunto com a população, e assim, quebrar as barreiras do silêncio e compartilhar informações.

Como identificar os sinais de suicídio?

O suicídio é  definido como um ato deliberado executado pelo próprio indivíduo, o problema é uma questão de saúde pública em todo o mundo e está relacionado a depressão, transtorno mental e abuso de substâncias. Saber reconhecer os sinais de alerta é primordial para oferecer ajuda. 

  • Pensamentos de morte constante “eu poderia morrer”, “queria estar morto”, “queria sumir”;
  • Isolamento;
  • Mudanças de hábito;
  • Insônia;
  • Perda de apetite;
  • Perda de interesses por atividades rotineiras;
  • Descuido com a aparência;
  • Alterações no sono;
  • Dificuldades na escola e/ou trabalho;
  • Sentimento de desesperança;
  • Sentimento de culpa;
  • Diminuição de energia;
  • Dores de cabeça e no corpo mesmo com auxílio de remédios;
  • Alteração do humor;
  • Perda ou ganho de peso;
  • Cansaço;

Como ajudar?

Todas as pessoas podem ajudar alguém que está passando pelo problema, o primeiro passo é saber identificar os sinais, para então oferecer apoio. Falar sobre o assunto não agrava o problema, e sim, ajuda as pessoas que estejam nessa situação. 

Falar abertamente sobre o assunto em casa, no trabalho e na escola diminui as taxas de suicídios. Esclarecer e estimular o diálogo entre as pessoas pode salvar vidas. O apoio da família e dos amigos é importante para diminuir o risco de suicídio. 

O suicídio é um problema sério e necessita de conscientização, o ministério da saúde por meio de campanhas, chama a atenção da população para o caso.

Ao perceber algum sinal, não se afaste, ajude! A falta de comunicação cria abismos entre as pessoas.

Como prevenir?

O primeiro passo para a prevenção do suicídio é levar a informação para a população, falar sobre assuntos relacionados às doenças mentais como, depressão, bipolaridade, ansiedade, esquizofrenia, é fundamental. Ao saber sobre o que se trata cada doença, aumenta a probabilidade do indivíduo procurar ajuda. 

Ofereça esperança, palavras de apoio  e incentivo aumentam a confiança do indivíduo e vontade de viver.

Fale sobre o tema nas redes sociais, muitas pessoas que estão passando pelo problema sentem-se isoladas e buscam desabafar por esses meios.

Indique a ajuda de especialistas, um psicólogo ou psiquiatra, pode ajudar a  lidar com o problema por meio da prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de sofrimentos mentais. 

No Brasil, a organização CVV oferece tratamento gratuito para a população através de chats, ligações (188), e-mails e pessoalmente. 

A startup de agendamento de consultas médicas ipok, conta com profissionais disponíveis para ajudar. Conheça o perfil de alguns especialistas que atendem em Manaus.

Aline dos Santos Silva - Psicóloga

Allan Oliveira Cruz - Psicólogo

Ana Carolina Haddad P. Ribeiro - Psicóloga

Amon Eriko de A. Albuquerque - Psicólogo

Alessandra Pereira - Psiquiatra

Laisa Arruda P. Duarte - Psiquiatra

Daniele Holanda - Psiquiatra

Ana Paula Lima Amanajás - Psiquiatra